sábado, 25 de abril de 2009

VENCEU A COERÊNCIA NA CGADB

Depois de alguns dias em Vitória-ES, desembarquei em Brasília com o sentimento do dever cumprido. Era tudo que eu desejava, ver a COERÊNCIA vencer as eleições na CGADB. Não foi fácil. Cheguei a pensar que os concorrentes haviam se esquecido ser a escolha apenas para dirigir uma denominação e não um sindicato. Mas não deu outra, a COERÊNCIA falou mais alto, reagiu à tentativa de mudar a presidência no centenário das Assembléias de Deus no Brasil. Bem que eu avisei, mas me ignoraram. Eu falei: essa ninguem tira do "velhinho". É bom aprender a lição. Mexer com gente de experiência é como cutucar leão dormindo. A mordida foi certeira, deixou o adversário, que já contava com a vitória, sem saber aonde está doendo. Claro, essa ironia é com todo respeito. Embora eu esteja satisfeito, no fundo tenho uma preocupação:como vão pagar as despezas milionárias que fizeram para tirar o "velhinho"? Bom, eu vou esquecer isto senão perco a minha alegria.
Eu sei que o leitor está questionando a COERÊNCIA se dos eleitos dois deles eram da outra chapa. Verdade. Até nisso deu a COERÊNCIA. O tesoureiro da chapa vitoriosa, pisou na bola, deu a arma para o adversário atirar nele. Imagina se eles iriam perder a chance? Atiraram e venceram na tesouraria. Ah, eu não esqueci da INCOERÊNCIA da presença do Pastor Silas Malafaia na Primeira Vice, já que ele passou o processo eleitoral todo atacando a atual mesa, inclusive secularizando as eleições da CGADB. Neste cargo também deu a COERÊNCIA. Vejamos: a diferença do Pastor Silas Malafaia para o seu principal concorrente, Pastor Moura, foi de 304 votos. Acontece que havia um outro candidato, Pastor Temóteo que obteve 804 votos. A conta é fácil, sem esse outro candidato, quem venceria a elição para Primeiro Vice? A COERÊNCIA da matemática responde. Eu já estava me esquecendo, tem 373 votos da convenção CIADSETA, a convenção do Pastor Samuel Câmara, que foram incluídos por liminar judicial que aguarda jungamento de recurso. Se a justiça cassar esses votos, a COERÊNCIA vai agradecer. Tudo bem, não vou cansar o leitor com tanta análise. O melhor de tudo é prestar bem atenção na COERÊNCIA e viver.

8 comentários:

VAGNER DE CASSIO FERREIRA disse...

FANTASTICA ANALISE. PARABENS !!!

Pr. Carlos Roberto disse...

Caro Pr. Ronaldo Fonseca,
Assino junto essa análise!
Ainda sôbre a coerência, não esqueçamos que o tesoureiro que ganhou, em que pese ser pela outra chapa, pertence ao Ministério do Belenzinho, a mesma Igreja do Presidente eleito.
Um grande abraço!
Pr. Carlos Roberto

peregrinodoceu disse...

Chama tudo isso de Coerência? termos mais de cento e cinquenta cheque sem fundos isso é coerência? termos o nome negativado isso é Coerência? não dar a chance de contar os votos de mais de cinco mil ministro, mais desprezando á todos é issso Coerência?

Então me diga o que Ê INCOERÊNCIA????

peregrinodoceu disse...

Chama tudo isso de Coerência? termos mais de cento e cinquenta cheque sem fundos isso é coerência? termos o nome negativado isso é Coerência? não dar a chance de contar os votos de mais de cinco mil ministro, mais desprezando á todos é issso Coerência?

Então me diga o que Ê INCOERÊNCIA????

Arimatéia disse...

INCOERÊNCIA é ver as disputas políticas tomando conta da igreja, inclusive chegando a ter que se apelar à justiça...

Se é essa a coerência pregada nos púlpitos, temos que rever nossos conceitos...

Ou será que aqui os valores são diferentes?

crente disse...

E o que é INCOERÊNCIA? Onde esta o chamado que vocês dizem ter para o pastoreio? Não dá para aceitar tanta desordem e desrespeito no meio de vocês (analisem o que acontece na convenção) quanta baixaria. Realmente perdeu-se os valores cristãos e vieram os valores materiais isso mesmo é só material. No que vocês estão de olho.

Desanimado..... mas não vencido...
Deus cobrará de vocês.... tenham certeza disso, pelo menos. Deixem que publiquem.

Paulo Mororó disse...

Caro partor, a Paz do Senhor.

Parabéns pela postagem.

Realmente foi muito coerente o resultado. Assim como também o seria muito coerente se o outro "partido" tivesse "ganhado". A questão é simples, existe uma disputa entre grupos de "Dinastias Eclesiásticas",as brechas são enormes em meio à tantos conflitos.Só existe um vencedor quando falta perdão e sobra contenda, ele aparece em 2Co 2.10.
È realmente somos o que somos, é uma realidade, não podemos fugir disto. Sendo assim só nos resta ser COERENTES.

Um abraço.
PAULO MORORÓ

PASTOR DAVIDSON disse...

NOTICIA IMPORTANTE
SOBRE A CGADB:


O Pr. Davidson Gomes Vieira ingressou com representação na CGADB postulando a instauração de processo administrativo em face do Pr.SAMUEL CÂMARA em razão da flagrante conduta aética consubstanciada por seu ofensivo pronunciamento, levado ao ar em programa televisivo no dia 13 de junho de 2009. Espera que o Conselho de Ética e Disciplina cumpra efetivamente o seu papel.

ESCLARECIMENTOS


A representação não adentra ao mérito do pronunciamento do Pr. Samuel Câmara, ou seja, ela não discute se são ou não verossímeis as denúncias por ele perpetradas, até porque, seu humilde subscritor (Pr. Davidson), na qualidade de simples convencional, jamais se arvorou postar-se como advogado da CGADB e de seus inscritos.


A representação (direito de petição de todo convencional) foi formulada sob os pressupostos do próprio Estatuto e Regimento Interno da CGADB, não se trata de peça difamatório ou de qualquer conteúdo ofensivo à notável ilibada honra do Pr. Samuel Câmara, valendo frisar, que o Representante (Pr. Davidson Gomes Vieira) na qualidade de advogado não poderia esquecer que segundo as próprias regras estatutárias e regimentais poderá, também, sofrer da sanção administrativa, caso não comprove a verossimilhança de suas alegações feitas em desfavor do Pr. Samuel Câmara.


A mencionada representação busca ver declarada a gritante falta de ética do Pr. Samuel Câmara, em trazer ao seu programa televisivo (assistido por milhares de pessoas), denúncias contra a CGADB de fatos que tratados sob o crivo de uma ASSEMBLÉIA GERAL ORDINÁRIA composta da presença de mais de 14.000 pastores, foram ali sanados com a aprovação das contas.


Ora, não se discute a boa ou má gestão da mesa diretora, o que se discute é o fato de um membro, quiçá, perturbado ou não com sua derrota no recente pleito à presidência, tenha a ousadia de vir a público conspurcar a honra da instituição que almeja presidir e dos colegas a quem deve o amor cristão, fomentando a discórdia entre irmãos, quando pelo próprio mister de seu ministério tinha a obrigação de lutar pela união de seus pares e sobretudo não olvidar do direito à dignidade humana, impondo freio à sua solta língua.


Aliás, por ocasião da Assembléia Geral, o Pr. Samuel Câmara teve e usou largamente o direito à palavra e, se ali não fez prevalecer suas convicções, certamente não lhe era lícito usar de seu programa televisivo para de maneira totalmente cômoda incriminar de modo indevido e inoportuno, em local inapropriado fazer denúncias contra quem ali não se encontrava para se defender, agindo assim, com evidente ânimo de difamação.


Imaginem, nos ministros, que tendo nos tornados desafetos de alguém que nos confidenciou suas mazelas em razão de nosso ofício sacerdotal e, que por conta do rompimento da relação de amizade venhamos tornar público aquilo que era confidencial sob o discurso da “transparência” . Não seria no caso a dilatação um mal maior do que o próprio pecado da ovelha? Como afirmou o reverendíssimo Pr. Marco Feliciano em seu recente glorioso pronunciamento sobre a eficácia da fofoca, da calúnia e da difamação: “A quem aproveita o escândalo senão ao Diabo?” Por que utilizarmos de caminhos escusos quando temos caminhos legítimos para expor nossos ideais e promover nossas defesas?


Pr. Davidson Gomes Vieira
MEMBRO DA CGADB